Jornal destaca apoio do setor de TI a pessoas com deficiência

Em sua edição desta segunda-feira, 30/07/18, o Jornal de Santa Catarina destacou como principal manchete a atuação das empresas de TI na contratação de pessoas com deficiência.

A reportagem aborda também o programa de formação gratuita do Sesi, que formou uma turma de alunos com deficiência com o patrocínio do SEPROSC e das associadas GOVBR e Senior.

Confira a reportagem:

 

A inclusão no mercado de trabalho

Estima-se que 2,2 mil pessoas deveriam estar empregadas em Blumenau, mas o número de contratados é cerca de 800

Quando se pensa em tecnologia, o que vem à cabeça? Provavelmente uma sala cheia de pessoas em frente aos computadores, onde a linguagem de programação predomina. E é assim mesmo em uma empresa que desenvolve sistemas no Centro de Blumenau. Porém, o cenário mudou um pouco e ganhou um novo formato há dois anos, quando a instituição resolveu contratar o primeiro colaborador com deficiência auditiva. O que parece ser apenas parte do processo de atendimento da legislação, que estabelece cotas para pessoas com deficiências dentro de corporações, virou muito mais do isso: antes da chegada de Jean Carlos Paes, aproximadamente 40 profissionais dos mais variados setores aprenderam a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Foi a primeira oportunidade que o assistente de infraestrutura teve, desde que entrou no mercado de trabalho, de atuar em um lugar em que os companheiros de profissão passaram por preparação para recebê-lo. Quem conta isso é o colega Daniel Henrique Minella, que apreendeu rápido a se comunicar na nova linguagem e hoje é quase o intérprete da empresa. Paes passou por outros empregos, mas a maioria no setor de expedição. Para quem sempre ajudou a formatar os computadores dos parentes, trabalhar com o que ele ama é sinônimo de orgulho.

– Nas outras empresas eu tinha muita dificuldade, fiquei isolado porque ninguém tentou aprender Libras para se comunicar comigo – diz o funcionário de 32 anos.

A empresa em que Paes trabalha, a HBSIS tem atualmente nove funcionários com algum tipo de deficiência. A meta é chegar a 25 até setembro deste ano. Para cada novo colaborador, um desafio e um aprendizado diferente, avalia a gerente de Desenvolvimento Humano Organizacional, Michelle Tribess. É que na visão da empresa, a admissão tem que ser mais do que um fator de lei. Tem que garantir que o cidadão seja de fato incluído, produtivo e sinta que o que faz tem valor agregado à organização.

– Nosso propósito é garantir cidadania às pessoas que vêm para cá. – reforça Michelle, dando destaque ao lado humano.

MUDANÇA CULTURAL E QUALIFICAÇÃO
 

O movimento das empresas para o processo de inclusão é gradativo, aponta Thaís Tavares Pompeo, do setor de educação inclusiva do Sesi. Os números do Ministério do Trabalho e Emprego reforçam a urgência dessa evolução. Em Blumenau, 125 empresas têm porte que exige a contratação de pessoas com deficiência. Estima-se que 2,2 mil deveriam estar empregadas na cidade nesses moldes, mas o número aproxima-se a 800. A consultora pontua que para avançar e superar os dados é preciso promover uma mudança cultural nas organizações, em que elas observem a competência e não a deficiência no momento da contratação.

Responsável pelo programa de Desenvolvimento de Competências em Pessoas com Deficiência, Thaís conta que muitas vezes as empresas chegam até a instituição relatando que não encontram mão de obra para atender o que preconiza a legislação, e daí surgiu a iniciativa de formar profissionais para suprir a demanda do mercado.

Curso gratuito facilita o processo de inclusão
 

A primeira turma, em 2017, contou com 18 pessoas. Dessas, 13 chegaram ao fim da formação com emprego garantido. O segundo grupo passou por qualificação esse ano e mais três turmas estão programadas para ocorrer até setembro. Duas delas com vagas abertas para quem tiver interesse: uma na área de cooperativa de crédito e outra na saúde.

–É gratuito para as pessoas, pois as empresas custeiam tudo. Elas não têm a obrigação de contratar, mas se o aluno não é admitido por uma instituição, nós indicamos a outras – explica Thaís.

O presidente do conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Comped), Marcelo Krause de Matos, vê com bons olhos a iniciativa.

– As empresas estão percebendo a importância de incluir essas pessoas e vendo que elas podem ser tão produtivas quanto as que não têm limitação - pontua Marcelo, apostando na inserção.

Publicado em: 30/07/2018 09:24:37

Facebook Twitter Google Plus LinkedIn Whatsapp

Notícias

Ellevo e Renew Solutions firmam parceria para projetos de robotização

Ellevo e Renew Solutions firmam parceria para projetos de robotização

Integração auxilia empresas no processo de transformação digital

PESQUISA DE REMUNERAÇÃO DO SETOR DE TI NACIONAL - EDIÇÃO 2019

PESQUISA DE REMUNERAÇÃO DO SETOR DE TI NACIONAL - EDIÇÃO 2019

O Seprosc e a SinSalarial o convidam para participar da mais completa Pesquisa Salarial do Setor de Tecnologia no Brasil.

GOVBR Disponibiliza Software para o preenchimento do SIOPS 2019

GOVBR Disponibiliza Software para o preenchimento do SIOPS 2019

Prefeituras que não cumprirem os prazos podem ter suspenso o repasse de recursos da União

Evento gratuito vai discutir benefícios e aplicações de Centros de Serviços Compartilhados

Evento gratuito vai discutir benefícios e aplicações de Centros de Serviços Compartilhados

Programação realizada pela Ellevo terá palestra de Carlos Magalhães, autor de um dos principais livros sobre o tema. O Shared Service Talks trará ainda painel com executivos de empresas como Compass/GRSA, Bunge e Energisa

WK Sistemas lança programa de estágio para setor de Suporte

WK Sistemas lança programa de estágio para setor de Suporte

Inscrições já estão abertas e, além de formação remunerada, projeto oferece oportunidade de contratação no final do curso

Três formas de usar a tecnologia no terceiro setor para conquistar recursos

Três formas de usar a tecnologia no terceiro setor para conquistar recursos

O especialista no assunto elencou três formas de usar a tecnologia no terceiro setor e garantir os recursos financeiros necessários para desenvolver e manter as atividades funcionando. Confira:

Prefeitura sem papel

Prefeitura sem papel

Sistemas em nuvem otimizam tempo, garantem segurança de informações e agilizam processos em órgãos públicos

Remuneração no segmento de tecnologia

Remuneração no segmento de tecnologia

Práticas e tendências em Santa Catarina (2018)

Fácil aplica Inteligência Artificial na gestão jurídica

Fácil aplica Inteligência Artificial na gestão jurídica

Empresa desenvolve o Parker, ferramental próprio de aprendizado de máquina

Receba as novidades em seu e-mail!



Agenda Seprosc

Agenda Eventos