Entidades de TI pedem que Temer mantenha desoneração sobre o setor

Juntamente com a ABES - Associação Brasileira das Empresas de Software e a Assespro Nacional – Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, a Fenainfo subscreveu carta ao presidente  Michel Temer solicitando a manutenção das empresas do setor de tecnologia da informação (TI) na política de desoneração da folha salarial.

As entidades destacam que a substituição da alíquota de 4,5% incidente sobre a receita bruta por uma tributação de 20% sobre a folha de pagamentos representa um choque de custo sobre as empresas que dificilmente será absorvido pelo mercado. Tal situação ganha contornos de dramaticidade à luz do fato de que do profissional de TIC tem remuneração 51% superior à média nacional.

O SEPROSC destaca seu apoio à iniciativa das entidades.

Confira na íntegra:

Ao.Excelentíssimo Senhor
MICHEL MIGUEL ELIAS TEMER LULIA
Presidente da República
Praça dos Três Poderes, Palácio do Planalto, 3º Andar
Brasília – DF
Assunto: Reoneração da folha de pagamentos.

 

Senhor Presidente,

 

1. A Associação Brasileira das Empresas de Software - ABES, a Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação – ASSESPRO NACIONAL e a Federação Nacional das Empresa de Informática – FENAINFO, vêm perante Vossa Excelência manifestar-se sobre a importância de manutenção das empresas do setor de tecnologia da informação (TI) na política de desoneração da folha salarial no âmbito do novo projeto de lei sobre o tema a ser encaminhado nos próximos dias ao Congresso Nacional.

 

2. O texto original da Medida Provisória 774, de 30 de março de 2017, que “Dispõe sobre a contribuição previdenciária sobre a receita bruta”, foi encaminhado ao Congresso Nacional em termos que retirava o setor de tecnologia da informação da política de contribuição previdenciária sobre a receita bruta, assim como a maior parte dos setores hoje beneficiados.

3. A experiência do setor de TI com a desoneração da folha de pagamento é emblemática do quão positivos podem ser os efeitos de políticas públicas voltadas a redução da onerosidade sobre o custo do trabalho. No período de vigência da medida, entre 2010 e 2014, o setor contratou 76 mil profissionais altamente especializados, formalizando vínculos e atingindo um total de 874 mil trabalhadores. A remuneração no período cresceu à taxa superior a própria receita. A partir de 2015, até o final de 2016, o setor devolveu ao mercado 49 mil trabalhadores, cerca de 64% do que construíra em quatro anos.

4. Os números demonstram que a desoneração do custo do trabalho foi estruturante para o setor de TIC o qual foi o pioneiro na política dadas as suas características, como, por exemplo, a alta longevidade educacional e os elevados salários médios de seus trabalhadores. A desoneração promoveu ciclo virtuoso no segmento reduzindo a informalidade, especialmente ante à obrigatoriedade do recolhimento sobre a receita bruta instituída na primeira fase da política.

5. Dessa forma, a reoneração previdenciária configurar-se-ia em um duro golpe em um dos setores mais transversais na economia, impulsionador da inovação e da produtividade, fator crítico para a recuperação da competitividade do Brasil. A substituição da alíquota de 4,5% incidente sobre a receita bruta por uma tributação de 20% sobre a folha de pagamentos representa um choque de custo sobre as empresas que dificilmente será absorvido pelo mercado. Tal situação ganha contornos de dramaticidade à luz do fato de que do profissional de TIC tem remuneração 51% superior à média nacional.

6. Cumpre ressaltar que, atentos à essa realidade, os deputados federais e senadores membros da Comissão Mista destinada à análise da MPV 774/2017 no Congresso Nacional, modificaram seu texto original para manter a sistemática de recolhimento da contribuição previdenciária patronal sob a receita bruta (CPRB) de forma facultativa, ou seja, a empresa pode optar pelo recolhimento com base na receita bruta (a alíquota de 4,5%) ou na folha de pagamentos (a alíquota de 20%).

7. Diante do exposto, para não comprometer o futuro do Brasil em matéria de inovação e tecnologia de informação e comunicação, renovamos o pedido para que Vossa Excelência mantenha o setor de TI da política de desoneração da folha de salários (CPRB) de forma a manter a opcionalidade, nos termos da Lei nº 13.161/15.

8. Certos de podermos contar com o apoio de Vossa Excelência para a defesa do setor de Tecnologia da Informação brasileiro, despedimo-nos com sinceros votos de apreço e admiração.

Respeitosamente,

 

Francisco Camargo
ABES - Associação Brasileira das Empresas de Software

Jeovani Ferreira Salomão
Assespro Nacional – Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação

Edgar Serrano
Fenainfo – Federação Nacional das Empresas de Informática

Publicado em: 09/08/2017 15:54:21

Facebook Twitter Google Plus LinkedIn Whatsapp

Notícias

Mais de 23 mil veículos e 11 bilhões de mercadorias passaram por sistema logístico da Lincros em 2020

Mais de 23 mil veículos e 11 bilhões de mercadorias passaram por sistema logístico da Lincros em 2020

Empresa conta com plataforma que permite o gerenciamento de todo o processo de distribuição, além da contratação do frete e auditoria de pagamentos. Com investimento em melhorias e novas funcionalidades, marca comemora bons resultados do último ano

Como comunicar e promover a interação  entre equipes de diferentes turnos

Como comunicar e promover a interação entre equipes de diferentes turnos

A tecnologia tem se tornado aliada para uma comunicação assertiva e integrada

Seprosc e Senac lançam projeto Jovem Programador com cursos na área de tecnologia

Seprosc e Senac lançam projeto Jovem Programador com cursos na área de tecnologia

Programa de capacitação tecnológica com foco na empregabilidade dos jovens catarinenses.

Lançamento Jovem Programador

Lançamento Jovem Programador

Projeto de capacitação tecnológica voltado para a programação de computadores e focado na empregabilidade.

Ellevo expande serviços digitais para gestão do trabalho remoto durante a pandemia

Ellevo expande serviços digitais para gestão do trabalho remoto durante a pandemia

Empresa brasileira pioneira em soluções de gerenciamento de atividades lançou o Ellevo Next, para gestão do trabalho remoto, e expandiu versão web da plataforma Ellevo para 22 países e 15 idiomas no último ano

Edusoft completa 37 anos de história

Edusoft completa 37 anos de história

Empresa blumenauense que desenvolve softwares de gestão educacional busca conciliar a experiência com os novos desafios da educação.

Tendências em logística: controle de cargas deve mudar rotina de distribuição de mercadorias

Tendências em logística: controle de cargas deve mudar rotina de distribuição de mercadorias

Indústria brasileira busca alternativas tecnológicas que reduzem tempo e investimento no processo de finalização de entregas. Só na Lincros, mais de 23 mil veículos e R$ 11 bilhões em mercadorias foram monitoradas no último ano

Evento online fala sobre produtividade e visão gerencial na cadeia logística

Evento online fala sobre produtividade e visão gerencial na cadeia logística

Webinar gratuito organizado pela Lincros acontece no dia 13 de abril e vai destacar desafios e oportunidades para empresas que buscam tornar o setor de distribuição mais eficiente e estratégico

Receba as novidades em seu e-mail!



Agenda Seprosc

Agenda Eventos