Planejamento zero com tantas oscilações tributárias

As oscilações de tributação no Brasil é uma constante nos últimos anos. Em 2011, a Contribuição Previdenciária das empresas de Tecnologia da Informação (TI) foi reduzida para 2,5% sobre o faturamento bruto, em 2012 foi reduzida para 2% até 2014, e em 2014, o Regime passou a ter vigência por tempo indeterminado. Em 2015, aumentou para 4,5%, porém com a opção de 20% sobre a folha de pagamentos. Este ano, através da Medida Provisória nº 774/2017 o governo elimina a opcionalidade e torna obrigatório o recolhimento de 20% sobre a folha.

No setor de serviços, em especial o de TI, as despesas de pagamento de pessoal oscilam entre 70% e 80% do total de despesas. O que significa uma tributação de 14% a 16% da sua receita bruta, enquanto na forma vigente a opção de alíquota de 4,5%, embora alta, é mais benéfica para a maioria das empresas. Temos mostrado aos parlamentares o impacto que sofreremos com consequências desastrosas para nosso setor caso vigore esta alteração.

Argumentos que convenceram o relator da MP 774, senador Airton Sandoval (PMDB-SP), a acolher emendas que visam manter o regime atual, o que significa uma vitória provisória, que dependerá das próximas votações e de possíveis vetos, eventualmente propugnados pela Receita Federal. Na realidade esta batalha da reoneração precede a próxima, que será a comentada proposta governamental de unificação dos recolhimentos do PIS/COFINS para o regime não cumulativo, o que representará - dependendo dos percentuais adotados, um aumento real das despesas de pelo menos 5,6% sobre o faturamento.

É impossível para qualquer empresa, independente de seu tamanho, planejar suas atividades com tantas oscilações tributárias. Se concretizados os aumentos desejados pelas autoridades fazendárias, seremos onerados em torno de 20%, o que certamente inviabilizará o setor, já duramente atingido pela crise nacional. Vamos continuar nesta luta, liderada nacionalmente pela Fenainfo, apelando para o bom senso de nossos dirigentes. A Tecnologia da Informação é essencial para a retomada do crescimento econômico, independência nacional e é estratégica para o nosso futuro como País. 

Benito Paret é Presidente do TI RIO – Sindicato das Empresas de Informática 

Site: Convergência Digital
Data: 23/06/2017 
Hora: ------ 
Seção: Opinião 
Autor: Benito Paret 
Link: http://www.convergenciadigital.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=site&infoid=45532&sid=15

Publicado em: 05/07/2017 10:43:31

Facebook Twitter Google Plus LinkedIn Whatsapp

Notícias

Ellevo e Renew Solutions firmam parceria para projetos de robotização

Ellevo e Renew Solutions firmam parceria para projetos de robotização

Integração auxilia empresas no processo de transformação digital

PESQUISA DE REMUNERAÇÃO DO SETOR DE TI NACIONAL - EDIÇÃO 2019

PESQUISA DE REMUNERAÇÃO DO SETOR DE TI NACIONAL - EDIÇÃO 2019

O Seprosc e a SinSalarial o convidam para participar da mais completa Pesquisa Salarial do Setor de Tecnologia no Brasil.

GOVBR Disponibiliza Software para o preenchimento do SIOPS 2019

GOVBR Disponibiliza Software para o preenchimento do SIOPS 2019

Prefeituras que não cumprirem os prazos podem ter suspenso o repasse de recursos da União

Evento gratuito vai discutir benefícios e aplicações de Centros de Serviços Compartilhados

Evento gratuito vai discutir benefícios e aplicações de Centros de Serviços Compartilhados

Programação realizada pela Ellevo terá palestra de Carlos Magalhães, autor de um dos principais livros sobre o tema. O Shared Service Talks trará ainda painel com executivos de empresas como Compass/GRSA, Bunge e Energisa

WK Sistemas lança programa de estágio para setor de Suporte

WK Sistemas lança programa de estágio para setor de Suporte

Inscrições já estão abertas e, além de formação remunerada, projeto oferece oportunidade de contratação no final do curso

Três formas de usar a tecnologia no terceiro setor para conquistar recursos

Três formas de usar a tecnologia no terceiro setor para conquistar recursos

O especialista no assunto elencou três formas de usar a tecnologia no terceiro setor e garantir os recursos financeiros necessários para desenvolver e manter as atividades funcionando. Confira:

Prefeitura sem papel

Prefeitura sem papel

Sistemas em nuvem otimizam tempo, garantem segurança de informações e agilizam processos em órgãos públicos

Remuneração no segmento de tecnologia

Remuneração no segmento de tecnologia

Práticas e tendências em Santa Catarina (2018)

Fácil aplica Inteligência Artificial na gestão jurídica

Fácil aplica Inteligência Artificial na gestão jurídica

Empresa desenvolve o Parker, ferramental próprio de aprendizado de máquina

Receba as novidades em seu e-mail!



Agenda Seprosc

Agenda Eventos