Três formas de usar a tecnologia no terceiro setor para conquistar recursos

O primeiro ponto que precisamos esclarecer é que fazer uma gestão profissional de entidades sem fins lucrativos é tão importante quanto de uma empresa privada. Por muito tempo, acreditou-se que as instituições que não visam lucro não precisavam de uma administração mais apurada, mas não é verdade. E para garantir que tudo corra bem, o uso da tecnologia no terceiro setor se torna imprescindível.

Porém, não falamos apenas do uso de um computador para fazer planilhas. Há várias alternativas que podem ser exploradas para organizar, agilizar e facilitar a gestão dessas organizações, especialmente no que diz respeito à captação e à economia de recursos financeiros. “Se vamos usar a tecnologia, que seja de maneira estratégica, certo? Então, quando pensar em como aproveitá-la, abra a mente para as diversas opções disponíveis, desde as mídias sociais até os softwares de gestão. Dessa forma, fica muito mais fácil encontrar onde estão as oportunidades para tornar o trabalho da entidade sustentável”, ressalta Marcio Tomelin, diretor de Produto e Mercado da WK Sistemas.

O especialista no assunto elencou três formas de usar a tecnologia no terceiro setor e garantir os recursos financeiros necessários para desenvolver e manter as atividades funcionando. Confira:



1 – Mídias sociais

Segundo o Relatório Global de Tecnologia de ONGs de 2018, as redes sociais são parte importante da estratégia de comunicação e angariação de fundos das organizações. Segundo o documento, 93% das ONGs em todo o mundo possuem uma página no Facebook, 77% têm um perfil no Twitter, 56% têm uma página no LinkedIn, 50% possuem um perfil no Instagram e 36% publicam regularmente em seus blogs. Além disso, 71% das entidades concordam que as mídias sociais são efetivas na arrecadação de fundos e 25% dos doadores dizem que as redes são a ferramenta de comunicação que mais lhes inspiram a doar.

Diante desses números, se a sua instituição ainda não está inserida neste cenário, com certeza está deixando passar diversas oportunidades de fortalecer as finanças e ampliar as atividades. Aproveite que a maioria das mídias sociais são gratuitas e apresente a sua causa para as pessoas. Você pode, por exemplo, montar um blog atrativo e contar a história da sua entidade, destacando as atividades e os benefícios que ela entrega para a sociedade.

Depois, crie uma página no Facebook e um perfil no Twitter para divulgar as atividades e buscar novos apoiadores. Hoje, é possível chamar as pessoas para fazer doações direto pelas redes sociais. Então, não espere mais para utilizar essas ferramentas. Olhe para a sua entidade, veja quais redes são mais aderentes a ela e use-as com inteligência.

2 – Computação em nuvem

Com certeza você já ouviu falar sobre computação em nuvem. Hoje, essa alternativa tecnológica que possibilita o acesso a arquivos e a execução de diferentes tarefas por meio da internet é uma ótima opção para quem organiza e coordena as atividades de instituições do terceiro setor. Se falarmos de pessoas que dividem seu tempo entre a filantropia e um negócio próprio ou um emprego então, a nuvem cai como uma luva.

E sabe o que é melhor? Há vários dispositivos que podem ser usados gratuitamente, como as ferramentas do Google e da Microsoft. Ao fazer uma conta no Google, por exemplo, além do e-mail, você passa a ter acesso também ao Google Drive, uma plataforma que possibilita a criação, o armazenamento e o compartilhamento de arquivos com várias pessoas.

Há também os softwares em nuvem, que dispensam a montagem de uma infraestrutura de TI dentro da organização, pois não precisam ser instalados nos computadores e nem armazenados em bancos de dados próprios. Todo o acesso é feito pela internet.

Todas essas facilidades não trazem apenas agilidade no trabalho, mas também economia, o que é muito importante, uma vez que os recursos financeiros, na maioria das vezes, são bem escassos.
 

3 – Software de gestão

O uso da tecnologia no terceiro setor passa pelo investimento em um software de gestão. É de extrema importância que as entidades possam contar com um sistema que dê suporte ao trabalho da administração, especialmente da parte financeira, proporcionando transparência.

Como as instituições do terceiro setor geralmente funcionam por meio de doações, saber exatamente o que tem em caixa, o que ainda vai entrar e quando e quais são os gastos, é essencial para garantir sua sustentabilidade. Ter os números organizados também é importante na hora da prestação de contas das atividades para os patrocinadores.

Além disso, poder gerar relatórios sobre as atividades e os gastos de maneira rápida e simples facilita o repasse de informações para novos interessados em colaborar com sua causa. Com tudo em mãos, é muito fácil expor as necessidades da instituição e apontar exatamente o que é preciso para manter os projetos em funcionamento.

 

FONTE: WK SISTEMAS

Publicado em: 06/05/2019 11:35:50

Facebook Twitter Google Plus LinkedIn Whatsapp

Notícias

Edusoft passa por rebranding e anuncia nova marca corporativa

Edusoft passa por rebranding e anuncia nova marca corporativa

O novo momento, assinado pela Nexia Branding, reforça a preocupação da empresa com a educação e visão de futuro

Empresas são cada vez mais alvos de criminosos da internet, apontam estudos. Saiba como se proteger

Empresas são cada vez mais alvos de criminosos da internet, apontam estudos. Saiba como se proteger

Vazamentos e sequestro de dados afetam desde pequenos negócios até gigantes bilionárias. Especialista em segurança da informação destaca boas práticas para evitar o problema

Empresa de TI de Blumenau investe em programa de treinamento em tecnologia para indústria

Empresa de TI de Blumenau investe em programa de treinamento em tecnologia para indústria

A empresa Teclógica visa conectar estudantes e profissionais das áreas de tecnologia e indústria

Jovem Programador supera meta de inscrições

Jovem Programador supera meta de inscrições

O Senac SC e o Seprosc comemoram o sucesso do Jovem Programador, projeto de capacitação em programação de computadores. A meta inicial foi superada, com 3.174 jovens inscritos, distribuídos nas cidades sedes selecionadas para a primeira edição

Permanência do home office desafia foco e produtividade: gestão automatizada tem se tornado um diferencial

Permanência do home office desafia foco e produtividade: gestão automatizada tem se tornado um diferencial

Sem controle efetivo da pandemia, muitas empresas decidiram manter o trabalho remoto e precisam lidar com os desafios do modelo através de ferramentas que possibilitem maior transparência em relação às entregas dos colaboradores

Receba as novidades em seu e-mail!



Agenda Seprosc

Agenda Eventos