Testes atrasam e governo adia, de novo, o eSocial

O eSocial deve entrar em vigor somente no segundo semestre de 2017, adverte a Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon). A definição do novo prazo deve ocorrer nas próximas semanas e a medida já foi confirmada pela própria Receita Federal.

Segundo a entidade, que integra o Grupo de Trabalho Confederativo (GTC) e acompanha de perto a implantação do sistema, o calendário de testes sofreu atraso e inviabilizou a operação em setembro deste ano.

“A prorrogação é certa, mas o mês ainda está sendo discutido. A entrada em vigor deve ser transferida para o segundo semestre de 2017, no caso das empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões, e para o início de 2018 aos demais empreendimentos. Pode ocorrer alguma variação, por isso estamos aguardando a publicação do edital pela Receita Federal”, afirma o diretor de educação e cultura da Fenacon, Helio Donin Júnior.

Segundo o presidente da Fenacon, Mario Berti, a prorrogação é positiva e vai contribuir para o aperfeiçoamento do sistema e a definição do layout. “O GTC trabalha para implantar o eSocial com tranquilidade, de forma planejada e eficiente. E o mais importante, leva em conta as sugestões e soluções propostas pelas entidades e empresas”.

O GTC coordenado pelo Ministério do Trabalho (MT) acordou ainda a mudança do ano-base utilizado na construção do cronograma. “A pedido da Fenacon, o ano-base passará a ser 2015 e não mais 2014. Como estamos em crise e o faturamento das companhias está caindo, a mudança tira do primeiro prazo uma parcela grande de empresas”, explica Donin Júnior.

Muitos empreendimentos que em 2014 faturavam acima de R$ 78 milhões, fecharam 2015 com resultado menor por causa da retração da economia brasileira. Com a mudança, essas companhias só entrarão no eSocial em 2018. Até que o módulo esteja pronto e testado, a Fenacon orienta as empresas a investirem na capacitação de seus funcionários. 

O eSocial não cria nenhuma nova obrigação fiscal. Pelo contrário, a medida do Governo Federal vem para reduzir a burocracia imposta às empresas brasileiras e, consequentemente, melhorar o ambiente de negócios do país.

Hoje, as companhias tem que prestar diversas informações de forma descentralizada a vários órgãos, como a Receita Federal, a Caixa Econômica Federal, a Previdência Social, entre outros. A proposta do eSocial é justamente harmonizar as obrigações fiscais, trabalhistas e previdenciárias, permitindo às empresas a redução de seus custos e a redundância das informações enviadas ao Governo. O eSocial também vai melhorar o controle tributário.

Publicado em: 30/08/2016 08:00:00

Facebook Twitter Google Plus LinkedIn Whatsapp

Notícias

Ellevo e Renew Solutions firmam parceria para projetos de robotização

Ellevo e Renew Solutions firmam parceria para projetos de robotização

Integração auxilia empresas no processo de transformação digital

PESQUISA DE REMUNERAÇÃO DO SETOR DE TI NACIONAL - EDIÇÃO 2019

PESQUISA DE REMUNERAÇÃO DO SETOR DE TI NACIONAL - EDIÇÃO 2019

O Seprosc e a SinSalarial o convidam para participar da mais completa Pesquisa Salarial do Setor de Tecnologia no Brasil.

GOVBR Disponibiliza Software para o preenchimento do SIOPS 2019

GOVBR Disponibiliza Software para o preenchimento do SIOPS 2019

Prefeituras que não cumprirem os prazos podem ter suspenso o repasse de recursos da União

Evento gratuito vai discutir benefícios e aplicações de Centros de Serviços Compartilhados

Evento gratuito vai discutir benefícios e aplicações de Centros de Serviços Compartilhados

Programação realizada pela Ellevo terá palestra de Carlos Magalhães, autor de um dos principais livros sobre o tema. O Shared Service Talks trará ainda painel com executivos de empresas como Compass/GRSA, Bunge e Energisa

WK Sistemas lança programa de estágio para setor de Suporte

WK Sistemas lança programa de estágio para setor de Suporte

Inscrições já estão abertas e, além de formação remunerada, projeto oferece oportunidade de contratação no final do curso

Três formas de usar a tecnologia no terceiro setor para conquistar recursos

Três formas de usar a tecnologia no terceiro setor para conquistar recursos

O especialista no assunto elencou três formas de usar a tecnologia no terceiro setor e garantir os recursos financeiros necessários para desenvolver e manter as atividades funcionando. Confira:

Prefeitura sem papel

Prefeitura sem papel

Sistemas em nuvem otimizam tempo, garantem segurança de informações e agilizam processos em órgãos públicos

Remuneração no segmento de tecnologia

Remuneração no segmento de tecnologia

Práticas e tendências em Santa Catarina (2018)

Fácil aplica Inteligência Artificial na gestão jurídica

Fácil aplica Inteligência Artificial na gestão jurídica

Empresa desenvolve o Parker, ferramental próprio de aprendizado de máquina

Receba as novidades em seu e-mail!



Agenda Seprosc

Agenda Eventos